Conecte-se Conosco

Notícias

Rondônia atinge 300 mil casos conhecidos de Covid

Avatar

Publicado

em

200 mil casos foram registrados apenas entre janeiro de 2021 e janeiro de 2022. Porto Velho corresponde a 31% das infecções. O estado de Rondônia atingiu, no início desta semana, a marca de 300 mil casos conhecidos de coronavírus desde o começo da pandemia (que completa dois anos no próximo mês de março). Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), a infecção se avançou com rapidez, principalmente no ano passado.

Casos de Covid chegam a 300 mil em Rondônia — Foto: Jorge Júnior/Rede Amazônica

Nos primeiros dez meses da pandemia, entre março de 2020 e janeiro do ano passado, foram 100 mil casos de coronavírus notificados no estado. Já os outros 200 mil casos foram contabilizados de janeiro de 2021 a janeiro deste ano. E em um ano e dez meses de pandemia, Rondônia teve mais de 2 mil casos registrados em 24h apenas três vezes, sendo que 2022 já entrou nesse recorde. Com o avanço da variante Ômicron, especialistas acreditam que o número de infecções tende a triplicar nas próximas semanas. A nova variante já está em circulação em Porto Velho, Jaru, Candeias do Jamari, Guajará-Mirim, Alta Floresta do Oeste, Presidente Médici, Cerejeiras, Seringueiras e Vilhena.

Casos curados e ativos

Desde o início da crise sanitária, um boletim diário com as informações do avanço da pandemia é divulgado durante a noite pelas Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Superintendência Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

Além de informar os casos e mortes registrados no estado, o governo divulgava o número de pacientes curados da doença e a quantidade de casos ativos. No entanto no início de dezembro do ano passado houve um ataque hacker ao site do Ministério da Saúde e isso comprometeu a atualização de dados. O boletim diário do governo, por exemplo, não foi publicado nos dias 10, 11, 12, 13 ,14 e 25 de dezembro de 2021.

A partir de 15 de dezembro o boletim começou a ser atualizado de maneira manual. Atualmente ele vai ao ar apenas com informações de casos e óbitos provocados pelo coronavírus, ou seja sem a quantidade de casos ativos e curados.  Até 9 de dezembro, antes do sistema federal ser hackeado, o governo de Rondônia informava que 270.169 pessoas já tinham se recuperado da doença.

Mortes

Em um ano e dez meses de pandemia, o estado já soma 6.810 mortes provocadas pela Covid, sendo que março do ano passado foi a pior época, quando Rondônia chegou a ter mais de 50 óbitos provocados pela doença em 24h. A primeira morte por Covid foi registrada em Rondônia no dia 29 de março de 2020, e 138 dias depois o estado chegou a 1.000 vítimas fatais. Em menos de 160 dias depois já eram 2.000 vidas perdidas. Em março do ano passado o estado chegou aos 3 mil mortos de coronavírus. Desde então, mais 3,8 mil pessoas morreram pela Covid em um período de dez meses.

Por g1 RO

Publicidade

Comente usando o Facebook

H. Eduardo Pessoa é Jornalista e Desenvolvedor de diversos Portais de Notícias como este destinado à Empreendedores, Jornalistas e Pequenas e Médias Empresas. Experiência de mais de 12 mil notícias publicadas e nota máxima de satisfação no Google e Facebook com mais de 79 avaliações de clientes.

Notícias

Grupo Incopostes lança campanha sobre segurança no trabalho

Roy Junior

Publicado

em

O Grupo Incopostes realizou o lançamento de uma nova campanha voltada para a conscientização sobre segurança no trabalho. Com o slogan inspirador “Alguém Te Espera Sorrindo em Casa”, a iniciativa visa promover a importância de retornar em segurança para casa após um dia de trabalho.

A campanha destaca a responsabilidade de cada trabalhador em adotar medidas de segurança no ambiente laboral, visando não apenas sua própria proteção, mas também o bem-estar de suas famílias.

Assista ao vídeo:

Comente usando o Facebook

Continue Lendo

Notícias

Caixa termina de pagar nesta quinta-feira (28) parcela de março do novo Bolsa Família

Roy Junior

Publicado

em

A Caixa Econômica Federal conclui o pagamento da parcela de março do novo Bolsa Família. Recebem nesta quinta-feira (28) os beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 0.

O valor mínimo corresponde a R$ 600, mas com o novo adicional o valor médio do benefício sobe para R$ 679,23. Segundo o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, neste mês o programa de transferência de renda do governo federal alcança 20,89 milhões de famílias, com gasto de R$ 14,15 bilhões.

Além do benefício mínimo, há o pagamento de três adicionais. O Benefício Variável Familiar Nutriz paga seis parcelas de R$ 50 a mães de bebês de até 6 meses de idade, para garantir a alimentação da criança. O Bolsa Família também paga um acréscimo de R$ 50 a famílias com gestantes e filhos de 7 a 18 anos e outro, de R$ 150, a famílias com crianças de até 6 anos.

No modelo tradicional do Bolsa Família, o pagamento ocorre nos últimos dez dias úteis de cada mês. O beneficiário poderá consultar informações sobre as datas de pagamento, o valor do benefício e a composição das parcelas no aplicativo Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

A partir deste ano, os beneficiários do Bolsa Família não têm mais o desconto do Seguro Defeso. A mudança foi estabelecida pela Lei 14.601/2023, que resgatou o Programa Bolsa Família (PBF). O Seguro Defeso é pago a pessoas que sobrevivem exclusivamente da pesca artesanal e que não podem exercer a atividade durante o período da piracema (reprodução dos peixes).

Cadastro
Desde julho do ano passado, passou a valer a integração dos dados do Bolsa Família com o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Com base no cruzamento de informações, cerca de 270 mil famílias foram canceladas do programa neste mês por terem renda acima das regras estabelecidas pelo Bolsa Família. O CNIS conta com mais de 80 bilhões de registros administrativos referentes a renda, vínculos de emprego formal e benefícios previdenciários e assistenciais pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Em compensação, 100 mil de famílias foram incluídas no programa neste mês. A inclusão foi possível por causa da política de busca ativa, baseada na reestruturação do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e que se concentra nas pessoas mais vulneráveis que têm direito ao complemento de renda, mas não recebem o benefício.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, 3,21 milhões de famílias foram incluídas no programa desde março do ano passado. Segundo a pasta, isso se deve à estratégia de busca ativa.

Regra de proteção
Cerca de 602 mil famílias estão na regra de proteção em março. Em vigor desde junho do ano passado, essa regra permite que famílias cujos membros consigam emprego e melhorem a renda recebam 50% do benefício a que teriam direito por até dois anos, desde que cada integrante receba o equivalente a até meio salário mínimo. Para essas famílias, o benefício médio ficou em R$ 370,49.

Publicidade

Arte Agência Brasil

Auxílio Gás
Neste mês não haverá o pagamento do Auxílio Gás, que beneficia famílias cadastradas no CadÚnico. Como o benefício só é pago a cada dois meses, o pagamento voltará em abril.

Só pode receber o Auxílio Gás quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como aquelas vítimas de violência doméstica.

Fonte: Agência Brasil

Comente usando o Facebook

Continue Lendo

Notícias

Unimake Paranavaí: Potencializando Negócios Digitais com inovação e Criatividade

Roy Junior

Publicado

em

Na Unimake Software, oferecemos soluções que vão além do convencional, permitindo que você foque no que realmente importa: o crescimento do seu negócio.

Comente usando o Facebook

Continue Lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Policial

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas